Confissões de Uma Viciada

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Filme: Deuses e Monstros


Por onde devo começar? É um estudo de personalidades - mas qual é o assunto? Sobre um homem que veio a consciência gay tarde demais para se beneficiar do movimento? Um artista cuja maiores conquistas dependia de extinção de todas as conexões entre o pessoal e o politicamente correto? A resposta é: todas as anteriores e muito mais!

Deuses e Monstros é um drama histórico sobre o famoso diretor de Frankenstein, James Whale (Ian McKellen) e seus últimos anos, vivendo relativamente na modesta Hollywood de 1950. A ênfase é colocada sobre a sua homossexualidade e sua complexa relação com seu jardineiro jovem, Clayton Boone (Brendan Fraser).

O filme é incomum, embora não seja de uma trama muito pesada. É realmente um estudo de personalidade, com um olhar muito profundo em Whale, Boone e, em menor medida, a empregada doméstica de Whale, Hanna (Lynn Redgrave). Como tal, o filme em grande parte depende de suas performances, que não poderiam ser melhores.

Fraser é talvez o mais impressionante, como o teor de seu papel é muito diferente do que a maioria do material que ele já enfrentou ao longo dos anos (A Múmia, Múmia 2 e o terrível e retardado Múmia 3). Ele nunca deixa de vender o seu personagem cheio de nuances, que é algo de um enigma de classe baixa, com um passado conturbado e claramente um desejo de um futuro mais simples, mas que mal sabe como expressar ou conseguir o que deseja. A descrição é quase um reflexo perfeito de Whale, também, como chegamos a perceber.

Ian McKellen é adorável e envolvente, suas expressões faciais e movimentos do corpo são fascinantes. Ele não faz a performance "estereotipada" de um homossexual. Pelo contrário, James Whale é um homem torturado, porém digno. Lynn Redgrave é engraçada na maioria das vezes como a empregada doméstica de Whale, apesar de manter a qualidade dos “pés no chão”.

O diretor Bill Condon (Chicago) criou uma obra-prima poética, uma resposta maravilhosa à pergunta: "Será que não podemos nos dar bem?". Condon ainda mostra-se um cineasta altamente sensível e um grande diretor. Ele certamente não tem medo de abordar um assunto tão polêmico no estilo mais confortável.

Há poucos filmes hoje em dia que possuem uma combinação de boa atuação, roteiro e direção. Deuses e Monstros é um desses poucos filmes. A qualidade da atuação, junto à direção de Condon, bem como seu roteiro (que ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado), resultam em um filme extraordinário que qualquer verdadeiro amante de cinema deve assistir.


Titulo Original: Gods and Monsters
Elenco:  Ian Mckellen, Brendan Fraser, Lynn Redgrave
Duração: 105 min
Direção: Bill Condon
Roteiro: Bill Condon
Gênero: Drama
Ano: 1998
Nota: *****


Trailer


Share This

5 comentários:

kynhaa disse...

que texto enorme, fiquei com preguiça de ler, me diz se é bom ou não-Q

Jacqueline Gomes disse...

hahahaha... teu texto no 21 livros tb estava gigante e li palavra por palavra! Mas o filme é muito bom mesmo!

Carlos Miranda Jr. disse...

Assim como o filme, como Ian MacKellen e como Brendan Fraser o texto está ótimo Jak.

Livs disse...

Esse será o mesmo diretor de Amanhecer né? Bom, espero que ele faça um bom trabalho e que Melissa faça um roteiro digno!

Bjs!

Livs disse...

Opa! Hoje foi dia de trabalhar em layout hein! Por aqui também.

Está nascendo o Leiturinhas.com (www.leiturinhas.com) e eu coloquei um banner do seu blog lá! Como não tinha um, eu improvisei :)

Beijos!

Distributed By Blogger Template | Designed By Blogger Templates